Livro diz que Hitler morreu no Brasil aos 95 anos

hitler-e-sua-namorada-no-brasil
segunda a autora, essa foto de Hitler com a namorada brasileira comprovaria a tese

Um livro surpreendente afirma Adolf Hitler, não morreu. Mas na verdade escapou de seu esconderijo e realmente morreu incógnito em 1984 em uma pequena cidade perto da fronteira do Brasil com a Bolívia – e isso pode ser comprovado por uma imagem.

Não só isso, mas o autor acredita que o Führer fugiu para a Argentina e depois o Paraguai antes de se estabelecer no estado brasileiro de Mato Grosso para caçar tesouro enterrado – com um mapa dado a ele por aliados do Vaticano, de acordo com o seu autor.

Como parte de sua artimanha elaborada para escapar à detecção, ele também tinha um relacionamento com uma mulher negra chamada Cutinga, o que foi feito para provar que ele não poderia ser o ditador que odiava qualquer um que não se encaixava seu ideal ariano, as reivindicações do livro.

A pós-graduanda Simoni Renee Guerreiro Dias esboçou sua teoria bizarra, alegando que o fascista, na verdade, morreu aos 95 anos.

O livro, intitulado “Hitler no Brasil – sua vida e sua morte”, desafia a visão aceita que o ditador se suicidou em seu bunker de Berlim, em 30 de abril de 1945.

Ela afirma que ele pode ter vivido como Adolf Leipzig, na pequena cidade de Nossa Senhora do Livramento, a 30 quilômetros da capital do estado, Cuiabá.

Simoni está agora planejando usar testes de DNA usando um parente de Hitler que vive em Israel. “Estamos aguardando permissão para exumar os restos mortais de Adolf Leipzig a partir de seu suposto lugar de descanso final em Nossa Senhora do Livramento”, disse.

A estudante de jornalismo ligou a suposta chegada do Fuhrer na área para uma oferta do Vaticano de direitos de propriedade sobre tesouro enterrado jesuíta em uma caverna perto de seu lar adotivo.

Fonte: Daily mail

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.