Tefé: Polícias Civil e Militar prendem homem denunciado por estuprar e engravidar as enteadas

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da equipe de investigação da Delegacia Especializada de Polícia (DEP) de Tefé, sob o comando da delegada Wagna Costa, titular da unidade policial, em conjunto com policiais militares que atuam naquele município, cumpriram no lugar, na tarde de terça-feira (9/4), por volta das 17h, mandado de prisão preventiva por estupro de vulnerável em nome de um homem de 48 anos, denunciado por abusar sexualmente e engravidar as próprias enteadas, em 2015 e 2017. Na época, as vítimas tinham, respectivamente, 12 e 13 anos.

De acordo com a delegada Wagna Costa, os policiais iniciaram as diligências na manhã de ontem (9/4), após receberem informações de que o infrator estaria residindo na Comunidade Bela Vista do Sapiá, em Tefé, município distante 523 quilômetros em linha reta da capital. No entanto, o infrator foi preso em uma lancha no meio do rio, no momento em que tentava empreender fuga para Tefé.

“Passamos a investigar o caso após recebermos denúncia de servidores do Conselho Tutelar. O primeiro caso ocorreu em 2015, quando uma das adolescentes tinha apenas 12 anos. O outro ocorreu em 2017, com a irmã da vítima, que na época tinha 13 anos. Ouvimos essas vítimas e elas afirmaram que tiveram os filhos delas após serem estupradas pelo indivíduo. A mãe das adolescentes não tinha conhecimento dos abusos”, explicou Costa.

Conforme a autoridade policial, em depoimento na delegacia, o infrator confirmou os abusos sexuais e assumiu a paternidade de um dos filhos. O mandado de prisão preventiva por estupro de vulnerável em nome dele foi expedido pelo juiz Rômulo Garcia Barros Filho, da 2ª Vara da Comarca de Tefé.

O homem foi indiciado por estupro de vulnerável. Ao término dos procedimentos cabíveis na delegacia, ele será levado para a Unidade Prisional de Tefé (UPE), onde irá ficar à disposição da Justiça.

Foto: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.