Amazonas pode e deve ser o Estado mais rico do Brasil – por Professor José Melo

As riquezas do Amazonas interessam ao mundo inteiro. O Rio Negro, por exemplo, é a região mais rica em minérios, com o equivalente a US$ 41 trilhões em minérios nobres.

E o Nióbio, a liga metálica do momento, que torna os produtos mais leves e resistentes às altas temperaturas e, por isso, vem despertando cada vez mais, os interesses dos operadores econômicos internacionais.
Além disso, o Rio Negro conta com as mais encantadoras Gemas da nossa região. Entre elas, o diamante, ouro, ametista, esmeralda, turmalina. Outro mineral importante é o granito, muito utilizado na construção civil.

Portanto, as pessoas precisam entender que o rio Negro é uma benção para o Amazonas e para o Brasil e de vital importância para o mundo.

Pedras preciosas encontradas no Rio Negro, Amazonas. Divulgação

O que mais preocupa, no momento, é que essas riquezas, exceto o Nióbio, estão sendo exploradas de forma clandestina e desviadas para os países vizinhos sem controle das autoridades.

Etnias e preservação
Na região do Amazonas existem 21 etnias indígenas e, nenhum destes povos se beneficiou com essas riquezas, que saem, na maioria dos seus territórios por vias desconhecidas.

Importante dizer, que qualquer dano à natureza e aos povos indígenas, tem que ser reparados, com ações de reflorestamento, de preservação dos mananciais, com o Ministério Público atuando de forma enérgica, assim poder assegurar ações tão necessárias ao meio ambiente.

É hora de o Brasil, o Amazonas e todo o seu povo entenderem, que a exploração das riquezas minerais com responsabilidade, é importante para que os povos indígenas possam sonhar com uma boa escola, um bom hospital, melhor qualidade de vida, políticas públicas adequadas e estabilidade econômica em seus territórios.

O mundo e o Amazonas
Além disso, para que o Brasil possa ser um grande fornecedor da matéria prima mineral para o mundo, é preciso explorar o Nióbio. Sabemos que houve o período do Bronze, que o homem extraiu para fazer escudos, espadas e utensílios, o do Ferro que é exportado em grande escala e, agora, a opção do Nióbio que pode transformar o Amazonas no estado mais rico da Federação.

Estudo revelam que o Brasil tem cerca de 98% de todo o Nióbio do Mundo e o Amazonas concentra a maior parte desse mineral em seu território. Os outros estados com reservas menores são: Minas Gerais, Goiás e Rondônia.

Apesar disso, o mercado de nióbio é muito pequeno no Brasil. De acordo com levantamento da Agência Nacional de Mineração (ANM), dos R$ 88,46 bilhões de substâncias metálicas comercializada pelo Brasil, apenas 1% desse valor foi pela exportação de Nióbio.

É hora de o Brasil despertar, é hora de o Amazonas rever a sua política de mineração e ser um dos mais ricos do Brasil.

Professor José Melo

COMPARTILHAR