Setores em fase de adaptação a modelos mais ecológicos

Os media têm tido um impacto incrível na forma como o mundo está a encarar as questões da ecologia, criando um discurso que promove uma preocupação mais intensa quanto às questões da sustentabilidade.

A criação de uma consciência global sobre as necessidades do planeta fazem com que, tanto em termos individuais como empresariais comece a sentir-se uma alteração nos comportamentos, para melhor se orientarem para a preservação dos ecossistemas e do planeta terra.

Algumas das maiores marcas mundiais têm, também, orientado a sua campanha e a sua ação para tentar promover uma atitude mais sustentável face ao ambiente e promover um menor impacto ambiental na produção dos artigos que comercializam.
Desta forma, na atualidade, torna-se possível compreender que alguns dos mercados que maior impacto tinham no ambiente começam a ser exemplos de mudança para todo o mundo

Apresentamos alguns dos mercados onde já são visíveis as mudanças no sentido de promover uma atitude mais ecológica.

1. A moda
O consumismo é uma realidade do século XXI e a moda é uma das mais claras expressões disto mesmo. Ao ser criada uma dinâmica mais efémera para os produtos de moda, como roupas, calçado e acessórios, criou-se também um índice significativo de desperdício, com os produtos descartados por não serem, já, tendência.
Perecível, a moda acabaria por se tornar uma das principais causas da poluição do planeta, havendo a necessidade de mudar de atitude para criar dinâmicas mais ecológicas e menos prejudiciais para o meio ambiente.
O futuro da moda sustentável passou pela aplicação de várias medidas, destacando-se a adoção de medidas de consciencialização, inerentes às campanhas das várias marcas e também a uma alteração nos materiais efetivos utilizados para a criação das novas peças tendência.

2. A arte manual e museológica
Começou como uma tendência dos artesãos mas depressa se tornou conceito definidor da arte moderna: a criação de peças com produtos recicláveis e reutilizando produtos do quotidiano.
Cápsulas de café, restos de plástico, botões, recortes e muitos outros materiais, anteriormente considerados lixo, servem agora para criar as mais diversas peças de arte.
Estas figuram, frequentemente, na decoração das casas mas criam também arte de rua e peças de museu, mostrando como o próprio mundo artístico se torna, gradualmente, mais sustentável.

3. Decoração da casa
Na sequência das tendências da arte, surge também uma tendência no que diz respeito à forma como se decora o interior das habitações.
Apesar de podermos verificar que a efemeridade destas peças é maior do que nunca, para poder dar resposta ao consumismo sem prejudicar o planeta, os materiais utilizados começam a ser, também, cada vez mais, amigos do ambiente.

4. Produtos de perfumaria
Ao produtos comercializados nas perfumarias, incluindo os cosméticos e a maquilhagem, são hoje orientados, tal como a moda, para a consciencialização e a proteção ambiental.
Cada vez mais, este mercado apresenta opções onde o rótulo dá a indicação de que se trata de um produto não testado em animais ou sem qualquer tipo de matéria animal.
Esta medida ajuda a criar uma nova narrativa também entre o mundo dos cremes e dos ornamentos.

COMPARTILHAR