Juízo Eleitoral de Fonte Boa é suspeito de segurar processos que favorecem prefeito do município

Inconformados com a lentidão da análise do processo eleitoral de Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (AIME), por abuso de poder econômico e captação ilícita de sufrágio, movida contra a coligação “Juntos com a Força do Povo”, representadas por Gilberto Ferreira Lisboa e Alailson Ferreira Lisboa, advogados da chapa adversária, “Juntos Para Tirar Fonte Boa da UTI”, protocolaram denuncia na Corregedoria Regional Eleitoral do Amazonas e a outros órgãos, contra Juízo Eleitoral de Fonte Boa por suspeita de a comarca segurar andamento do processo, assim como suspeita de favorecimento ao prefeito.

A demora em colocar em pauta o processo devolvido pelo egrégio Tribunal Regional Eleitoral para dar prosseguimento do feito por este juízo vem causando incomodo da chapa representante, fato este que causa suspeita de favorecimento ao prefeito eleito Gilberto Lisboa “Biquinho”. O processo havia sido julgado improcedente de plano por este Juízo, nos termos da sentença (ID40589509). A coligação representante interpôs Recurso Eleitoral (ID 54176015). Contrarrazões pela Coligação Representada no ID 54780578.

O egrégio Tribunal Regional Eleitoral anulou a sentença acima em 01/03/2021, e determinou o retorno dos autos a este Juízo para que se proceda na forma requerida na inicial, nos termos do acórdão transitado em julgado e voto do Relator. A despeito da determinação do egrégio Tribunal Regional Eleitoral, até a presente data o processo ainda não foi reativado. Assim, requer o prosseguimento da presente Representação Especial, a fim de que seja oportunizando a Coligação Representante a produção de prova na forma requerida na inicial, em audiência de instrução e julgamento.

A coligação representante reclama ainda de outros processos que estão parados na justiça eleitoral do município, como por exemplo, o que denuncia a nomeação de mais de 800 funcionários admitidos sem concurso público ou PSS em pleno período eleitoral, processo de compra de votos no dia da eleição flagrados na casa do vereador Eliézio, ex-presidente da câmara municipal, onde inclusive seu irmão puxou arma de fogo e tentou desferir disparos contra apoiadores de Dr. Lázaro Araújo, assim como um processo em que Biquinho, e seus apoiadores são filmados na casa de uma família conhecida como “cobras” oferecendo benesses em troca de votos.

Segundo a defesa da coligação Juntos Para Tirar Fonte Boa da UTI, informou que a denuncia do caso também está sendo levado ao conhecimento do Conselho Nacional de Justiça-CNJ, e à Procuradoria Regional Eleitoral do Amazonas para que verifique e investigue as causas de tanta demora em colocar o processo em pauta, dando assim prosseguimento pra que tenha um desfecho na instância em que se encontra paralisado.

*Com informações da coluna Aconteceu/Marcelo Guerra

COMPARTILHAR