Amazonas luta para voltar à elite do poker nacional

Neto (foto) comemorando título de uma etapa principal do BSOP de 2017.

Em um passado recente, o Amazonas estava no topo do poker nacional com glórias individuais e coletivas. O Estado não conseguiu permanecer na elite desse esporte, mas com o esforço conjunto de muitas personalidades, os amazonenses estão no caminho certo para tentar retornar à primeira prateleira do poker brasileiro.

Os tempos de glória
O objetivo da nova direção da Federação Amazonense de Texas Hold’em (FATH) é justamente recolocar o Estado na elite. O grande momento do poker amazonense veio entre 2014 a 2016.

Há quatro anos, a seleção estadual foi a grande campeã do Campeonato Brasileiro de Poker por Equipes (CBPE). Essa conquista extraordinária entrou para a história do poker amazonense e motivou muitos outros entusiastas a praticarem o esporte da mente em questão.

Entre os Estados do Norte, apenas Acre/Rondônia (2015) conseguiu o feito de vencer o CBPE.
“Para nós, nunca foi surpresa que o poker nosso (do Amazonas) é de primeira linha. A gente já foi campeão nacional por equipes, então eu sei da capacidade das pessoas”, afirmou Ângelo Neto, um dos participantes da seleção do Amazonas após o título do CBPE de 2014.

A tradição do Amazonas não se restringe somente ao poker ao vivo. Em 2015, a competidora Samara Brito entrou para a história do esporte das cartas a nível nacional quando venceu uma grande competição de poker online, um feito impressionante que lhe garantiu mais de US$ 1 milhão em premiação.

Já em 2017, Neto entrou para a história ao se tornar o primeiro e único amazonense a vencer uma etapa principal do Campeonato Brasileiro de Poker (BSOP). A vitória veio em uma rodada disputada em São Paulo e para ser o campeão no evento, o competidor precisou superar vários profissionais de alto nível técnico.

Volta do campeonato estadual mirando o próximo CBPE
O Campeonato Amazonense de Texas Hold’em (CAMTH) ficou fora do calendário do poker amazonense por dois anos e finalmente voltou a ser realizado em 2018.

A importância de ter um campeonato estadual consolidado é muito grande para o nível do poker regional. Outras federações relevantes como a do Paraná e a de São Paulo, por exemplo, contam com torneio estadual estabelecido e fixo no calendário.

A volta do CAMTH ocorreu em agosto de 2018, quando Neto, que já foi campeão de uma temporada do estadual, se tornou o grande vencedor da etapa. O evento foi disputado em Manaus no famoso Saloon Sport Poker.

Para Ricardo Mota, presidente da FATH, o sucesso da etapa inicial serviu para a consolidação de competidores fortes e também para reforçar o bom nível do poker amazonense. Segundo o site Globo Esporte, o CAMTH de 2018/19 terá o total de oito etapas.

Como já é tradicional em outros campeonatos estaduais do país, o vencedor do CAMTH terá vaga garantida na próxima equipe do Amazonas no CBPE, competição que será realizada durante a temporada de 2019 do Campeonato Brasileiro de Poker.

CBPE está estabelecido como principal competição de seleções estaduais do país.

Neto como o grande estandarte do poker amazonense
O título de 2017 da etapa do BSOP e a conquista do CBPE em 2014 não foram os únicos momentos de glória de Neto a nível nacional. Na temporada de 2018, o amazonense brilhou mais uma vez nos feltros do BSOP.

Neto foi o grande vencedor de um evento de Brasília realizado sob a modalidade Texas Hold’em. Para conquistar o primeiro lugar ele precisou superar mais de mil oponentes e a vitória foi o suficiente para renovar a sequência vitoriosa do amazonense nesse circuito, visto que ele já havia vencido etapas em 2014, 2015 e 2017.

Consistente há tempos, Neto é sem dúvidas o competidor de poker mais conhecido do Amazonas no cenário nacional e isso não deve mudar tão cedo. Com seus ótimos resultados, ele está sempre entre os favoritos quando disputa qualquer campeonato no país.

Outros competidores de destaque que têm o potencial de recolocar Amazonas no topo
Assim como há amazonenses brilhando em outros esportes, no poker não é diferente. Além de Neto, existem outros competidores que estão em boa fase e são nomes excelentes para recolocar o Estado entre os primeiros do país novamente.

Um dos principais é o atleta Gleidibe Brito, conhecido como “Neném”. Com um currículo de resultados expressivos que datam desde 2013, o amazonense se destacou na temporada de 2018 com algumas atuações impressionantes.

O grande momento de Brito nos feltros ocorreu em janeiro, quando o profissional conquistou uma excelente 31ª colocação em um torneio internacional realizado nas Bahamas. Essa performance o consagrou na posição de terceiro melhor brasileiro no evento e consolidou seu lugar no disputado cenário do poker nacional.

Gleidibe Brito (centro) disputa uma partida de poker.

Em maio, Brito voltou aos holofotes quando terminou entre os 15 primeiros de uma rodada do BSOP realizada em Natal.

Victor Cativo é outro atleta amazonense que merece destaque por seus feitos nas mesas de feltro. Na última rodada do BSOP, disputada entre o fim de novembro até o início de dezembro em São Paulo, o competidor do Amazonas conquistou uma etapa paralela na modalidade Texas Hold’em.

Outros praticantes que representam o Estado, como Daniel Zuazo e Anderson Cruz, também fizeram bonito em etapas do poker a nível nacional. Zuazo, por exemplo, esteve entre os destaques da World Series of Poker (WSOP), que foi disputada em outubro no Rio de Janeiro.

Com o retorno do campeonato estadual e competidores no auge da carreira que conseguiram bons resultados na temporada, o poker amazonense tem tudo nas mãos para retornar ao lugar que lhe pertence e 2019 pode ser um ano ainda mais especial para esse esporte no Estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.